sexta-feira, 8 de junho de 2007

Congênes


nada me colore
ainda vou ser
o negro dos holofotes
(r.saraiva)

nada me demove
ainda vou ser
o pai dos irmãos Karamazov
(p.Leminski)



Rogério Saraiva

Um comentário:

SAMANTHA ABREU disse...

teu preto é tão vivo...

e a paternidade dele é tão desejável!
rsrsrsss

beijos