quinta-feira, 5 de junho de 2008

Muhammad Ali


Ando distante
Daqui, Dalí
Pra fugir
Do soco de
Muhammad Ali




Rogério Saraiva

11 comentários:

Cássio Amaral disse...

Ducalho.

Conciso e profundo como a espada de um samurai!

Abração brother.

yara b . disse...

surreal dalí.
gostei aqui.

SAMANTHA ABREU disse...

porque a vida e a tela...
a vida na dela.
na minha e na tua, baby.
e gente rebola pra não deixar o bambolê cair.
Né, não?!
Um beijo e saudade!

Jo Knobbe disse...

sumiste tu dali
la la la
la ra li

Madamefala disse...

Sumiu tatu, cadê tu?
Daí...bjinhos.

Therezinha disse...

O lugar onde mais
distante cheguei
foi me olhando
na fresta de um
espelho

Sempre único,
Camponês de Ponte Nova!!!
Abraços

Vicente, O de Queiroga disse...

Mr. Poeta,

sou amigo de yara... ela me indicou o teu blog. Venho acompanhando ultimamente. Já tava na hora de nava postagem, hehe!

Também tenho blog: http://vicodequeiroga.blogspot.com

Arrisco algumas escritas lá. Depois dá uma sacada lá. Gostaria da tua opnião.

Abraco.

Linda Graal disse...

entendo entendo...rsss
essa fuga está plena!

besitos, guapo

Álvaro Andrade disse...

é uma fuga infinita enquanto o punho não te alcança.

poemas curtos. eu curto.

Abraço. Legal aqui.

Lalo Oliveira disse...

Andas sim! Saudades dos diálogos. =]

http://www.poeses.blogspot.com

Miguel Barroso disse...

Um amor senta-se e permanece estoicamente activo na magnitude uterina do seu esplendor.



Abraços do EU, SER IMPERFEITO e d´A SEIVA