quinta-feira, 9 de julho de 2009

hfpgc

Paraísos se
transformam
em ti
Sorriso alelo
do composto
químico
da geometria
que começa ali
Aqui espero
no descompasso
de ruas e
avenidas becos
e saídas
Todas levam
alguma coisa
que não está
aqui quem
sabe aí
Ninguém sabe
todos sabem
muitos medos
eu me encon-
tro em ti.



Rogério Saraiva

11 comentários:

Lalo Oliveira disse...

Interessante esse lugar posto no próximo no qual se deseja estar, por insatisfação do local no qual se está presente, gritante na poesia.

Massa, Rogério.

Aquele abraço.

Samantha Abreu disse...

Ufa!
poema assim... rasteiro, que vai tirando o fôlego, correndo e puft! Acaba.
Do jeito que eu gosto... a brincadeira léxica.

ps: em tudo está o amor, certo? Certo!

Madamefala disse...

"Sorriso alelo
do composto
químico
da geometria
que começa ali"


adoraria ver isso de fato acontecer...rs

beijo.

Anônimo disse...

quanta oralidade nesse campesino de ponte nova. talvez não saiba, mas o Sr. é dotado de grande talento. Siga o seu caminho e será um dos nossos grandes poetas. abraços

Cássio Amaral disse...

"o que não coisa
CAUSA"
RODRIGO DE SOUZA LEÃO.

Rogério Saraiva disse...

Rápido como um tiro!

Deh Garcia disse...

bah, que graça! de que adienta colocar "títulos" se esconde as verdades por trás dos mesmos? :/

Deh Garcia disse...

de que adianta*


:P~

Sunflower disse...

fez cócegas ler isso.

beijas

alencar, gabriela disse...

esses poemas efêmeros prendem qualquer um.. incrível! (=

moniCa delázari mosqueira disse...

passei pra conhecer o blog...
descobri o endereço no site cultura ponte nova!