quarta-feira, 4 de julho de 2012

Caos Nosso

A turbulência para o choque fatídico e certeiro. O caos que se finda e não se finda. Um ser não retilíneo, matematicamente imperfeito. O fim que se aproxima do começo.






Rogério Saraiva
(foto: Rogério Saraiva )

2 comentários:

FernandoAntonioDrumond disse...

Rogério, leio suas poesias em seu blog, e não posso deixar de elogiá-lo, gosto imensamente do que você escreve e sinto que você faz isso inspirado, com sentimento verdadeiro, um grande artista, de verdade, que tem muito para acrescentar a este nosso mundo. Também sou pontenovense e admirador da sua poesia.
Parabéns e continue sempre!
Fernando Drumond

Rogério Saraiva disse...

Olá, Fernando!

Agradeço imensamente pelo elogio. Fico muito grato de ver um pontenovense lendo o meu blog e tecendo tão belos elogios.

Um grande abraço!
Rogério