segunda-feira, 12 de novembro de 2007

Sou um besouro


Um homem de guerra não pode ser poeta

Minha vida cada dia uma batalha

Sobrevivo de poesia.




Rogério Saraiva

5 comentários:

Rui Caetano disse...

Ora, a poesia é a nossa melhor arma para nos metermos na guerra de todos os dias. Bonita frase, imagem sugestiva também.

pri.design disse...

Página clara... composta com palavras de peso e cor.

saudades...

minha admiração sempre.

priscila - ipatinga mg
www.eladesign.org

SAMANTHA ABREU disse...

o mistério está em continuar sobrevivendo...
se não fosse a poesia, estaríamos tateando por aí.

Um beijo, poeta.

cassio amaral disse...

Rogério,

O poeta é um guerrilheiro!
Tem que ler, reler e treler, lutar com as palavras, levantar a espada samurai e cortar o verso certo.
Quem sobre-vive de poesia hoje não é poeta, é Pop Star, que acha que poesia se vende como tênis, como cerveja, como qualquer produto. Já chega a patotinha de Sampa, a galerinha de São Paulo que acha que pode dominar a poesia e que eles ditam novas tendências na poética Brasileira.
Te vi no perfil da Adelaide do Julinho, com um livro do tio Lema nas mãos. Então te deixo com uma frase do próprio Leminski:
"Pra ser poeta, é preciso ser mais que poeta"
Saca o que ele diz sobre isso tudo:
http://www.youtube.com/watch?v=oEXklTvm3aU

Abraço.

Rogério Saraiva disse...

A rima se desrrimou, pois o poeta precisa respirar.